5 Pegadinhas Comuns que Acontecem com Turistas na Índia.

September 1, 2015

 

 

Se você está indo viajar, você já está vulnerável a cair em esquemas para turistas. Agora, se você está indo viajar para a Índia sozinho, ou sem um grupo de turismo organizado, você simplesmente VAI cair em esquemas.

 

Os indianos são mestres na arte de enganar quem vem de fora. Eles são profissionais mesmo. Graças `as minhas viagens para a Índia, hoje eu tenho o meu radar sempre ligado para não cair em esquemas, o que não significa que eu nunca caio neles. Eu até já me preparo para ser enganada toda vez que vou viajar, porque a gente nunca sabe, ne’?!

Eu não estou querendo assustar ninguém pois, eu mesma nunca deixei de viajar por medo de que alguém me passe a perna. O negócio é estar preparada e não perder o bom humor quando alguma coisa acontecer durante as férias.

 

Então, bora pra Índia! Mas acreditem: os indianos são bons de negócio e muito convincentes!

 

 

1. O ticket errado

 

Esse esquema geralmente acontece nas estações de trem. Um homem, vestindo um uniforme e crachá com nome e sobrenome, finge trabalhar para a companhia de trem. Ele se dirige aos turistas oferecendo ajuda quando eles estão literalmente prestes a entrar no vagão, há apenas alguns minutos antes do horário da partida.

 

Este homem então pede para olhar o seu ticket e, após inspecionar o pedaço de papel que você passa para ele, diz que aquela não é uma passagem valida e te orienta a segui-lo até o centro de informações turísticas, onde você supostamente deverá trocar o seu papel impresso pela passagem. Detalhe: está quase na hora do trem partir, então ele cria um senso de urgência para que você o siga na pressa. Se você começar a segui-lo, você caiu na pegadinha.  

 

Quando isso aconteceu comigo, eu tive a sorte de estar com uma amiga. O indiano apontou para umas escadas que levavam para um lugar escuro. Tinha uma placa sinalizando que ao final das escadas tinha mesmo um centro de informações turísticas, mas não dava para ver nada lá de baixo. Eu até comecei a subir correndo quando eu ouvi minha amiga gritar: “Ana, volte, é um esquema! ” e apontou para o horário listado na placa: “Horário de funcionamento: 8:00 `as 17:00. Eram 6:00.   

Então nos duas nem pensamos duas vezes e começamos a correr novamente para não perder o trem. O indiano nem tentou nos deter e no caminho ainda alertamos outros 3 turistas que estavam quase caindo no mesmo golpe. Entramos no trem sem problemas e a nossa passagem foi aceita numa boa.

 

2. Turistas não viajam com os indianos

 

Era o meu primeiro dia em Délhi e, como uma boa mochileira, eu queria pegar transporte público de manhã para visitar um dos pontos turísticos. Eu acordei bem cedo e não tinha quase ninguém na rua quando eu cheguei até a estação central.

 

Na estação, novamente fui abordada por um indiano também vestindo uniforme, que estava determinado a não me deixar pegar o mesmo trem que os indianos pegam. Eu, já sabendo da reputação que os indianos têm em passar a perna nos turistas, passei reto sem nem olhar para cara do indivíduo. Foi quando ele pulou na minha frente e disse: “Senhora, esse é o meu trabalho e eu não posso deixar você entrar no mesmo trem que nos indianos usamos. Vai contra as regras do meu país!” Ele foi realmente muito convincente e eu não queria causar problemas (lembre-se que esse foi o meu primeiro dia e primeira vez viajando sozinha para Índia).

 

Então, ele conseguiu me convencer que eu precisaria comprar ingresso antecipado para ir onde eu queria ir e me orientou a ir até o centro de informações ao turista (de novo) que ficava perto dali. Ele simplesmente não me deixou fazer nada mais.

 

Ele então me convenceu a pegar uma tuc tuc (aquelas motinhos que eles usam bastante em vários lugares do sudeste da Ásia) e até “negociou” um preço “camarada” com o motorista, na língua deles, já que eu não entendia nada mesmo.

 

Artigo relacionado ao assunto: Tem Tuc Tuc no Brasil Também!

 

Claro que na hora, fazendo a conversão do valor que ele me passou, eu pensei que o preço estava barato, mas depois, quando me acostumei mais com o país, eu percebi que eles me cobraram muito mais do que o preço normal para uma tuc tuc. O motorista então me levou para o centro de informação turística mais próximo, onde me trataram super bem e me convenceram a pegar um carro com motorista para o dia todo. Era exatamente o que eu não queria fazer na Índia. Paguei 1500 rupes pelo dia todo, o que foi super barato, mas não tive o dia que planejei.

 

Moral da história: sim, caí em um golpe de mestre no meu primeiro dia de Índia, mesmo já sabendo sobre todos esses golpes. Mochilar pela Índia é estar alerta o tempo todo. Por isso hoje, recomendo organizar a viagem com alguém que entende e sair do Brasil já com tudo acertado. Viajar sozinha pela Índia foi um grande desafio para mim, mas não me arrependo.  

 

3. “Você está roubando o trabalho deles!”

 

A primeira vez que isso aconteceu comigo, eu estava com uma amiga viajando de uma cidade para a outra de trem. Foi uma viagem longa e, no caminho, fizemos amizade com uma família de indianos muito querida. Quando chegamos ao nosso destino, a família nos ofereceu carona até o hotel, que ficava no caminho da casa deles. Nós aceitamos.

 

No momento em que descemos do trem, vários motoristas de taxi e tuc tuc nos esperavam na porta, oferecendo transporte, como acontece em vários lugares no mundo. Eu e minha miga não demos atenção `a eles e continuamos caminhando e conversando com os nossos novos amigos.

 

Um taxista continuou nos seguindo perguntando se nos conhecíamos aquela família. Falamos que sim, e continuamos até o carro. Já estávamos dentro do carro, prontos para partir quando uma pequena multidão entrou nos impediu de sair. Confusas e não entendendo a língua, observamos a movimentação sem sair de dentro do carro, até o momento em que um policial chegou e disse que nós não poderíamos pegar carona com a família e que tínhamos que pegar um taxi.

 

Os membros da família pediram mil desculpas, mas pediram para que a gente fosse com o taxi ou eles teriam problema. Aparentemente, a família estava roubando clientes dos taxistas ao oferecer a carona e isso era inadmissível. Após a discussão, nos despedimos da família, que estava sendo muito gentil e tentando nos proteger, e tivemos que pegar aquele mesmo taxi, o que foi um pouco assustador. A família nos seguiu com o carro deles até o hotel para ter certeza de que estaríamos ok. Ao ver que chegamos em segurança no hotel, eles nos deram tchau e seguiram viagem.

 

4. Uma segunda versão do “vocês estão roubando o nosso trabalho”.

 

Mesma situação, mas dessa vez em um barco. Eu estava com o meu namorado e fizemos amizade com uma família de indianos que estavam indo para o mesmo lugar que a gente. Entramos no mesmo barco público que a família, até que um outro indiano nos aborda e pede para a gente descer do barco.

O pai da família pediu desculpas e pediu para que fossemos em outro barco, privado, ou ele teria problemas com os operadores locais. Ele prometeu que nos veríamos novamente do outro lado do rio, mas que não poderíamos fazer a travessia juntos. O preço para a família toda? 150 rupes. O preço para os 2 turistas? 600 rupes.

 

Após negociar o preço (tudo na Índia deve ser negociado, o que deixa a viagem bem cansativa. Leia aqui algumas dicas de como negociar na India), conseguimos fazer por 300 rupes e embarcamos no “ barco privativo” só para nos dois. Detalhe que eles pararam o barco para pegar outras pessoas no caminho. Talvez a palavra “privativo” signifique outra coisa na Índia.

 

 

 

5. O cotonete sujo

 

Esse aconteceu com um amigo meu. Graças a deus não foi comigo porque é muito nojento! Já deu para perceber que os indianos são espertos na hora de fazer dinheiro, ne’!? Pois então. Esse indiano se aproxima do turista com um cotonete e cobra para limpar o ouvido da pessoa! Até aí, tudo bem (estranho, mas tudo bem). O problema é que ele não pede se o turista quer limpar o ouvido. Ele simplesmente coloca o cotonete JÁ SUJO no ouvido da pessoa e cobra pelo serviço. Uiiiii!!!

 

 

E você? Já caiu em alguma pegadinha desse tipo durante uma viagem? Esse tipo de coisa acontece em qualquer lugar do mundo. Divida aqui a sua experiência. Você poderá estar ajudando alguém a não cair na mesma cilada na próxima vez.

Please reload

Featured Posts

Aprendendo Sobre os Aborígines da Austrália Sem Sair de Sydney: Parque Nacional Ku-ring-gai Chase

August 21, 2015

1/2
Please reload

Recent Posts

August 12, 2016

August 9, 2016

July 27, 2016

Please reload

Archive