Aprendendo Sobre os Aborígines da Austrália Sem Sair de Sydney: Parque Nacional Ku-ring-gai Chase

August 21, 2015

 

 

 

Ano passado eu me dei de aniversário uma viagem ao deserto da Austrália. Depois de anos morando em Sydney, eu queria aprender mais sobre o outback australiano, a cultura aborígine e conhecer Uluru, um dos ícones aborígines mais sagrados do país. Visitar Uluru não é barato e por isso demorou tanto para eu conseguir fazer a viagem. Confesso que fiquei com um pouco de vergonha ao perceber que mesmo depois de anos morando na Australia, eu não sabia praticamente nada sobre essa cultura tão rica dos primeiros habitantes desse país.

 

Voltei para Sydney pensando que era mesmo uma pena que muitos estudantes ou turistas brasileiros não têm a oportunidade de ter contato com a cultura aborígine. Com o dólar alto, fica ainda mais difícil conseguir viajar pela Austrália, que é um país caro, e muitos acabam só ficando nos grandes centros mesmo, como Sydney, Melbourne ou no máximo Gold Coast.

 

Eu mesma nunca tinha encontrado nada de muito satisfatório relacionado à cultura aborígene, tirando alguns museus, até que conheci o Paul do Sydney Outback em um evento de turismo. Graças ao Sydney Outback, os turistas agora possuem uma ótima oportunidade de imersão cultural sem sair de Sydney e sem gastar muito.

 

O parque nacional de Ku-ring-gai Chase fica há 40 minutos de Sydney e abriga mais de 1500 pontos de preservação aborígene. Alguns estão fechados para a visitação deu pra ver várias gravuras esculpidas em rochas, que ilustram lendas aborígines; desenhos nas paredes e cavernas de mais de 1000 anos atrás; e paisagens lindíssimas que me fizeram esquecer que eu estava tão perto da cidade grande. Foram na verdade em torno de 300 exemplos do como viviam os aborígines daquela área em um dia. Para quem gosta de pássaros, esse é um passeio perfeito.

 

A excursão começa às 8h00 e o aprendizado começa já na van que nos leva até o parque nacional. Um dos guias é um aborígene autêntico e, portanto, uma fonte riquíssima de informação (sem contar que ele é muito engraçado). Os guias falam sobre a história da Austrália, desde a sua descoberta e os primeiros encontros com os aborígenes, até os dias atuais. Uma introdução perfeita para quem acabou de chegar ao país.

 

Parecido com o que aconteceu com os nossos índios brasileiros, infelizmente muito da cultura aborígene se perdeu depois da chegada dos “novos australianos”. Como os aborígenes não tinham língua escrita, muito do conhecimento era preservado apenas verbalmente por gerações e, com a morte dos aborígenes, houve também uma perda enorme de cultura que nunca mais poderá ser restaurada. Sem contar que muitas informações são secretas e só podem ser divulgadas dentro das comunidades aborígenes. Informações que os “novos australianos” nunca terão acesso.

 

Antes de entrar no parque e pisar em terras aborígenes, o guia precisa pedir permissão aos deuses e ancestrais para que possamos entrar naquele território. Basicamente, precisamos ser convidados. Ele explica que, sendo aborígine, ele seria punido pelos deuses caso pisasse naquele solo sem pedir permissão e nos convida para se juntar a ele. Após uma cerimônia rápida, nossas testas e mãos são pintadas com uma mistura de ocre com água e assim somos convidados a entrar em terras aborígines.

 

Há várias paradas durante o dia para apreciar as belíssimas paisagens do parque até chegar na Akuna Bay, de onde pegamos um barco e vamos ao encontro de outras artes aborígenes.

 

O passeio de barco dura 3 horas. Durante esse passeio, o guia aborígene faz uma apresentação de 1h sobre a sua cultura e explica como era a vida dos aborígenes que moravam no país de Sydney. Sim, país, porque cada região que hoje conhecemos como cidades, era considerada um país pelos aborígenes de antigamente e cada clã falava uma língua diferente. O guia mostra utensílios usados pelos seus ancestrais, armas usadas em guerras e na caça, fala sobre a culinária aborígene, explica as técnicas de gravuras, nos ensina a tocar didgeridoo e responde todas as nossas perguntas. É uma apresentação super informativa.

 

O almoço está incluído no passeio e é bem australiano: hambúrguer de canguru com tomate selvagem colhido na própria região; hambúrguer de carne normal, mas servido à maneira australiana: com beterraba e às vezes abacaxi; sanduiche de salmão defumado e wrap de frango com salada. Há também opções vegetarianas. Tudo muito gostoso. Eles também servem café com Tim Tam, o biscoito de chocolate mais amado da Australia.

 

O passeio dura o dia todo e vale muito a pena pra quem quer aprender mais sobre a cultura desse país maravilhoso, ter contato com a natureza e conversar com um aborígene de verdade. Visitar o parque nacional de Ku-ring-gai com um guia aborígene é certamente um passeio memorável. A excursão proporciona um dia super tranquilo e eu recomendo para pessoas de qualquer idade que possuem conhecimento em inglês. Porque é uma excursão informativa, não recomendo para quem ainda não fala inglês, porque estariam perdendo muito das explicações. Mas, pra quem já fala inglês, fazer o passeio da Sydney Outback será uma ótima introdução à cultura australiana.

 

Mais informações de como reservar esse passeio, entre em contato comigo: ana@toptripviagens.com

 

Quer saber mais sobre a Austrália? Dá uma olhadinha no nosso pacote principal para a Austrália clicando aqui.        

 

  

Please reload

Featured Posts

Aprendendo Sobre os Aborígines da Austrália Sem Sair de Sydney: Parque Nacional Ku-ring-gai Chase

August 21, 2015

1/2
Please reload

Recent Posts

August 12, 2016

August 9, 2016

July 27, 2016

Please reload

Archive